Busca

»»

Cadastro



»» enviar

MacGyver 4 x 4

10.06.10

por Daniel Oliveira

Esquadrão Classe A

(The A-Team, EUA, 2010)

Dir.: Joe Carnahan
Elenco: Liam Neeson, Bradley Cooper, Sharlto Copley, Quinton Jackson, Patrick Wilson, Jessica Biel, Brian Bloom, Gerald McRaney, Jon Hamm

Princípio Ativo:
80s action flick

receite essa matéria para um amigo

10 reflexões sobre ir ao cinema assistir a “Esquadrão Classe A”:

1) Para começo de conversa: assistir ou não ao filme? Numa temporada de blockbusters normal – ou ao menos mediana – ele seria daqueles longas que você poderia facilmente ignorar. Mas não neste ano. Em uma das piores safras de férias das últimas décadas, “Esquadrão Classe A” é um monte de explosões e cenas de ação divertido, que pode se tornar um sucesso porque não há nada menos ofensivo pra ver nos mutiplexes. Leia-se: melhor que pão com bosta.

2) Dito isso, não se preocupe em atrasar uns 15 minutinhos. A sequência inicial no México é completamente dispensável (e um tanto xenófoba). Faz o filme parecer bem pior do que realmente é. Ela devia introduzir os personagens para os não-familiarizados com a série, mas eu não sou e ela não fez diferença nenhuma para mim. Aproveite para enfrentar a fila da pipoca e refri. Acredite, você vai precisar.

3) Não se culpe também se quiser levar seu iPod. Ele vai ajudar a isolar os diálogos canastrões e se concentrar nas explosões, tiroteios e afins.

4) Não que “Esquadrão Classe A” seja totalmente desprovido de história. Só que o diretor Joe Carnahan e o editor Jim May cortam tudo tão rápido que você vai precisar de muito esforço para conseguir acompanhar os planos, traições e reviravoltas do roteiro escrito a 22 mãos. E no final das contas, vai perceber que não valeu a pena.

5) Se estiver de bom humor, tire os fones durante as cenas do Esquadrão em que Liam Neeson botar seu charuto na boca ou Sharlto Copley (a melhor coisa do filme) se contorcer estranhamente. O elenco e sua química são bons e quase salvam a falta de timing cômico da direção de Carnahan.

6) Aliás, não deixe a gordura hidrogenada subir ao cérebro e te confundir: apesar de passar a maior parte do filme sem camisa, aquele não é Matthew McCounaghey. É o cara do “Se beber, não case” mesmo.

7) Certifique-se de não beber muito refri e precisar ir ao banheiro na segunda metade do filme. É nela que estão as duas sequências mais testosterônicas: um tiroteio em Berlim, outro em um cais. #80sactionflickfeelings

8) Se optar pelo iPhone em vez do iPod, não se recrimine por cogitar um bootleg para reassistir em casa, em slow. A edição torna quase impossível apreciar (ou simplesmente ver) qualquer plano, especialmente nas cenas de ação mais legais. E até mesmo no diálogo final bondiano entre Neeson e o vilão.

9) Por sinal, um item isolado em homenagem a Liam Neeson: de Oskar Schindler a herói de filmes B, sem perder a dignidade.

10) Não saia do cinema depois da última cena de ação! Depois de enfrentar os piores e mais maquiavélicos vilões, o “Esquadrão Classe A” não contava com... Don Draper, fechando o filme com chave de ouro (bem mais cool, por sinal, que a cena pós-créditos chinfrim).

Mais pílulas:
- Rambo IV
- Duro de Matar 4.0
- O procurado
- ou Navegue por todas as críticas do Pílula

O filme é tipo quatro caras para fazer o que o MacGyver fazia melhor. Sozinho.

» leia/escreva comentários (2)