Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Watchteens

16.06.10

por Renné França

Kick-Ass – Quebrando Tudo

(Kick-Ass, EUA / Reino Unido, 2010)

Dir.: Matthew Vaughn
Elenco: Aaron Johnson, Chloe Moretz, Christopher Mintz-Plasse, Mark Strong, Nicolas Cage, Sophie Wu, Elizabeth McGovern

Princípio Ativo:
violência subpoderosa

receite essa matéria para um amigo

“Kick-Ass” é um “Watchmen” adolescente. Mais colorido, mais impulsivo, mais rebelde e mais rock’n’roll. Enfim, muito mais divertido. As digressões filosóficas são trocadas pela irresponsabilidade, a ambientação política pela anarquia e a violência... bem, a violência continua a mesma.

Na adaptação da HQ de Mark Millar e John Romita Jr., a questão “como seria o mundo se realmente existissem super-heróis?” é colocada de um ponto de vista juvenil, a partir de um personagem claramente inspirado em Peter Parker. Nerd, fã de quadrinhos e impopular, Dave Lizewski (Johnson) resolve, sem nenhuma grande tragédia ou super poder por trás, que vai se tornar um herói. Compra uma fantasia pela internet e sai para salvar os fracos e oprimidos. Na primeira “missão”, apanha como nunca, leva uma facada e fica entre a vida e a morte.

Nada do que se espera do glamour dos heróis que acostumamos a acompanhar - e o diretor Matthew Vaughn sabe brincar muito bem com as nossas expectativas. Um dos motivos de “Kick-Ass” funcionar tão bem reside na grande quantidade de adaptações de histórias em quadrinhos que foram lançadas nos últimos anos. Os clichês já próprios desse subgênero, como alguns movimentos de câmera e a trilha sonora que vai num crescendo para culminar em um grande ato de heroísmo, são aqui desconstruídos para criar surpresa e ironias.

Apesar de engraçado, o filme também entrega excelentes cenas de ação, com o uso perfeito da trilha sonora, que pauta o ritmo de cada cena. Vaughn usa cores vivas na iluminação de cena para recriar a atmosfera dos quadrinhos e Mark Strong faz um vilão típico do gênero: megalomaníaco, divertido e impassível. E o que dizer de Hit Girl? Com uma carinha de anjo e uma boca pra lá de suja, Chloe Moretz rouba todas as cenas com seu misto de boneca de porcelana com sadismo de serial killer.

Crianças que matam sem piedade, um garoto que finge ser gay para ficar próximo da mulher amada e muitos hormônios em ebulição. “Kick-Ass” não é um típico filme de super-herói e, por isso mesmo, surpreende. E quer surpresa maior do que Nicolas Cage fazer um bom blockbuster?

Mais pílulas:
- Kill Bill
- Mandando bala
- Os incríveis
- ou Navegue por todas as críticas do Pílula

“Enfiar no seu rabo é só uma das coisas que eu posso fazer com essa arma, seu cuzão! O que é que tá olhando?”

» leia/escreva comentários (5)