Busca

»»

Cadastro



»» enviar

Yo-ho! Uma vida de pirata para mim

21.05.07

por Thiago Vetromille

Piratas do Caribe: A maldição do Pérola Negra

(PotC: The Curse of the Black Pearl, EUA, 2003)

Dir.: Gore Verbinski
Elenco: Johnny Depp, Geoffrey Rush, Orlando Bloom, Keira Knightley, Jack Davenport

Princípio Ativo:
Pirataria e malabarismos

receite essa matéria para um amigo

Missão: Marte de Brian de Palma, Beary e os ursos caipiras de Peter Hastings, Piratas do Caribe: A maldição do Pérola Negra de Gore Verbinski, Mansão Mal-assombrada de Rob Minkoff e Piratas do Caribe 2: O baú da morte de Gore Verbinski. Essa é a lista dos filmes baseados em atrações da Disney já feitos até a data de hoje. Dá pra perceber que sucesso, mesmo, só na franquia de “Piratas” – não por acaso transformada em trilogia.

No primeiro filme, temos as aventuras do Capitão Jack Sparrow tentando recuperar seu navio, o Pérola Negra, das mãos de sua tripulação amaldiçoada. Após ser preso, Jack é resgatado por Will Turner, ferreiro da cidade de Port Royal, que quer salvar sua amada Elizabeth Swann das mãos daquela mesma tripulação.

Se olharmos essa descrição, Piratas do Caribe não seria diferente de nenhum dos filmes sobre piratas estrelados por Errol Flynn na década de 40. O que fez dele esse sucesso estrondoso? Duas palavras: Jack Sparrow.

Os dois capitães do filme, Sparrow e Barbossa, são os únicos personagens retirados da atração da Disney. Algumas situações do brinquedo são re-encenadas, como o cachorro com as chaves, mas as semelhanças acabam por aí. Johnny Depp transformou o “levemente bêbado” Sparrow do brinquedo da Disney no pirata mais engraçado e competente que já navegou os sete mares. Depp tem orgulho em dizer que os maneirismos do seu personagem são baseados em Keith Richards, guitarrista do Rolling Stones (que irá fazer uma ponta em “Piratas do Caribe 3”).

As situações em que Sparrow se mete são em parte o alívio cômico do filme, mas também são os motivos para que a narrativa se desenrole. Tudo começa e termina no Capitão - até as reviravoltas no relacionamento do casal principal são culpa de Jack. Seja por ele estar usando Will como moeda de troca em algum acordo sinistro, seja porque ele está dando em cima de Elizabeth.

O sucesso do filme provocou também uma mudança no brinquedo da Disney. Cenas e objetos foram incorporados à atração. Os bonecos de Barbossa e Sparrow foram modificados para parecerem Geoffrey Rush e Depp.

Parece exagerado colocar o fator diferencial num único personagem, e é. Piratas do Caribe também tinha um orçamento maior, um apelo para os adolescentes e adultos que os outros filmes da Disney tendem a não ter e foi melhor divulgado que aqueles outros citados no início. Além disso, preencheu esse vazio temático que são os piratas no cinema atual. Seja lá o que for, deu certo. E muito certo.

O pior pirata de que já se ouviu falar.
Mas, pelo menos, você já ouviu falar dele.

» leia/escreva comentários (2)