Letra e música: Nick Hornby e Ben Folds

Nossa avaliação

Uma música sobre uma música que não existe, uma composição sobre um compositor imaginário. Na ficção, criada pelo escritor inglês Nick Hornby, um músico toca todas as noites seu único hit, sobre uma mulher que ele largou, chamada Belinda. Os fãs adoram, mas ele se arrepende de tê-la abandonado. Ele deixa o público cantar e se perde nas lembranças.

A história triste é contada na letra de uma das músicas do CD Lonely Avenue, parceria de Nick Hornby com o cantor norte-americano Ben Folds, chamada “Belinda”. “Ninguém quer escutar a música que ele fez sobre Cindy / Eles percebem que seu coração não estava ali”, canta Ben. A faixa é ao mesmo tempo argumento e prova de que a sinceridade e a paixão são os melhores ingredientes da música pop.

Outra faixa escondida no fim mostra o que seria a “Belinda” da história do tal compositor: um blues safado, em que ele rejeita a mulher sem sinal do arrependimento que viria depois. São duas camadas de drama: blues sobre blues.

Lonely Avenue tem outras faixas com histórias interessantes  e refrões grudentos (o fã que tenta descobrir a senha da ídola em “Password”, as almas gêmeas desencontradas em “From Above”), mas nenhuma tão especial quanto “Belinda”.

Esse texto foi publicado no caderno Ragga Drops de ontem.

3 Comentários

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • A gente
  • Home
  • Retro
  • Homeopatia
  • Overdose
  • Plantão
  • Receituário
  • Ressonância
  • Sem categoria
  • 2020
  • 2019
  • 2018
  • 2017
  • 2016
  • 2015
  • 2014
  • 2013
  • 2012
  • 2011
  • 2010
  • 2009