A Última Casa da Rua

Nossa avaliação

[xrr rating=1.5/5]

“A Última Casa da Rua” traz clichês por todos os seus cômodos. Isso não seria um problema se eles fossem orgânicos e funcionassem a favor da história. Mas o problema é que esta tentativa de fazer um filme de terror esbarra num excesso de tanto tentar assustar que nem o interessante elenco salva.

Jennifer Lawrence prova que não consegue acertar sempre e assume o papel da mocinha da vez que vai morar com a mãe (Shue) em uma casa vizinha ao local onde ocorreu um assassinato em família. E dá-lhe criança psico, sótãos assustadores, o freak da cidadezinha, bosques estranhos, bizarros barulhos de animais e tudo mais que a cartilha do terror pede.

A melhor coisa do filme (em todos os sentidos)

Os diálogos, além de expositivos, são óbvios e cansativos, enquanto o conflito entre mãe e filha que deveria pontuar o drama não consegue ir além da discussão superficial. Se há um mérito neste “A Última Casa da Rua” é o fato de fugir um pouco do sobrenatural e ainda apresentar uma interessante reviravolta que, apesar de conter muitos furos, diverte.

Se “Psicose” parece ser a inspiração principal do filme, a mistureba de suspense com terror adolescente se perde com a mão pesada do diretor, com a trilha sonora batida e com os personagens secundários que não tem muito o que fazer em cena. Recomendado apenas para quem gosta muito do gênero, “A Última Casa da Rua” deveria ser também a última tentativa de se requentar algumas ideias mais do que ultrapassadas.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • A gente
  • Home
  • Retro
  • Homeopatia
  • Overdose
  • Plantão
  • Receituário
  • Ressonância
  • Sem categoria
  • 2020
  • 2019
  • 2018
  • 2017
  • 2016
  • 2015
  • 2014
  • 2013
  • 2012
  • 2011
  • 2010
  • 2009